3.2.08

Flexibilidade

Quando falamos do bem estar físico de uma população, referimo-nos ao bom estado das suas capacidades físicas e ao seu desenvolvimento.

A nós cabe-nos a referência à flexibilidade.

Um corpo flexível é mais resistente à vida sedentária que, em geral, uma população leva.

Mas, nem sempre esta capacidade é tratada com a devida seriedade e importância que merece. A flexibilidade, por vezes, não é trabalhada de maneira correcta, ou seja, ao nível do input, ao nível do SN ; é mais usual, vê-la ser trabalhada por repetições e por insistências, reflectindo o erro crasso que se faz.

A flexibilidade implica trabalho ao nível da estrutura óssea, da configuração articular, das cartilagens, das cápsulas, dos ligamentos e tendões, dos músculos, do controlo supra-segmentar ( facilitação tónica ) e da regulação pelo cérebro.

Temos de ter a consciência que todo este processo assenta numa base, que é a relação agonista-antagonista e é apartir daí que podemos tirar o máximo benefício desta capacidade física.

Os músculos adaptam-se à utilização que lhes imprimimos e é consoante essa utilização que eles respondem, posteriormente, ao acréscimo de trabalho com melhor ou pior rendimento.

No entanto, não nos podemos esquecer, que esta capacidade vai-se perdendo ao longo da vida, e que só depende de nós próprios a forma como a conseguimos manter. Um corpo forte e flexível revela-se menos susceptível à lesão.

Assim, através deste pequeno trabalho, vamos tentar dar uma noção do que é a flexibilidade, de como ela evolui na vida humana e os vários processos que temos para avaliar e melhorar esta capacidade física.

O QUE É A FLEXIBILIDADE ?

Para responder a esta pergunta decidimos colocar várias definições do conceito, de forma a tentarmos ser o mais abrangentes possíveis.

A FLEXIBILIDADE É :

" Um factor complexo que determina o grau de mobilidade

articular e consequentemente a amplitude dos movimentos "

J. DELPORTE (1)

" Uma qualidade é um conjunto anatómico funcional constituído

pelo tecido muscular, pelos ligamentos e pelas cápsulas, permitindo,

no decurso de exercícios físicos, uma boa amplitude segmentar, e

solicitando sobretudo a elasticidade muscular, sem aniquilar as

suas qualidades de força e potência. "

S. DUTIL (2)

Analisando estas definições, tentámos tirar as ilações mais importantes, definindo flexibilidade desta maneira : é o grau de mobilidade de um segmento em torno das articulações e o comprimento que podemos imprimir a um músculo, afastando as suas inserções.

A capacidade de produzir um alongamento muscular em situação de acção e a capacidade que a articulação tem de chegar a determinada amplitude, pode também definir flexibilidade.

TIPOS de FLEXIBILIDADE

A flexibilidade pode classificar-se de duas formas, tal como nos diz

Renato MANNO, que define a flexibilidade como :

" Como capacidade de realizar gestos utilizando a máxima

capacidade articular tanto de forma activa como passiva "

FLEXIBILIDADE ACTIVA

é um movimento configurado por uma elasticidade e mobilidade máximas, através da acção muscular, pelo próprio indivíduo, ou seja, sem ajuda de forças externas ao movimento.

FLEXIBILADADE PASSIVA

é um movimento que ocorre sem contracção voluntária do indivíduo que o executa ; vai-se obter uma amplitude máxima ao nível articular, com a intervenção de um agente ( força externa ) responsável pelo alongamento.

1 comentário:

Anónimo disse...

eu gostei mais só que tem que melhora mais

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails